Pesquisadores do Projeto Esfinge orientam estágio supervisionado

Os docentes Amir Limana e Ricardo Töws foram designados para orientarem, no âmbito do IFPR, estudantes de Pedagogia da Faculdade de Astorga  (FAAST) no estágio supervisionado obrigatório. Oito estudantes do último ano de pedagogia escolheram o IFPR para fazer o estágio no ensino médio técnico e, como justificativa, a estudante Thaise Sciena apontou que “é uma oportunidade para conhecer uma maneira diferente de fazer escola”. E continua: “quando a gente chegou eu assustei um pouco pois nos deparamos com alunos mais ‘nerds’ do que a gente. Mas quando conhecemos vimos que é muito interessante pois o aluno e o professor aprendem juntos. Dá até vontade de trabalhar nesse lugar, pois a gente vê o entusiasmo e a vontade de aprender”. Ao buscar a percepção dos demais colegas, tivemos diversas observações.  Para Maiara Verri Cornicelli,  “é uma experiência de grande valia pessoal e profissional, por proporcionar a troca de experiências a partir da prática”. Já Juliane da Silva afirmou que “o estágio nos proporciona uma nova experiência, sendo esta diferenciada, como nos projetos aplicados que o professor conduz o seu aluno e o mesmo desenvolve suas capacidades; o professor, nessa mediação, aprende com seus alunos. É por meio do estagio que temos um outro olhar de como se trabalhar com os alunos”. Cristiane Stocco Ormundo afirmou que “o estágio é de extrema importância para o nosso futuro profissional, considerado como um processo de aprendizagem indispensável. Sendo assim, realizar o estágio no IFPR está sendo gratificante, pois há uma troca de experiências entre alunos, professores e estagiários, na qual é essencial para a formação integral de ambos. Trabalhar a pedagogia por projetos é poder colocar em prática o que o aluno aprende e tem interesse”. Thainan Martins da Silva afirmou que “o estágio no IFPR se tornou de grande importância, pois trouxe um conhecimento amplo sobre as várias metodologias que podem ocorrer dentro de uma mesma instituição, mostrando para nós qual o valor que a prática tem e quais os conhecimentos ela pode oferecer para todos os envolvidos neste método de educação; uma educação que não depende só do professor em ofertar conhecimentos e sim dos alunos que buscam o que realmente tem significado pra eles”. Para a estudante Brenda Salvador, do IFPR, a “oportunidade de ter contato com os estagiários é proporcionar a eles o entendimento de como trabalhamos e aprendemos, e para nós, a ajuda nos nossos projetos, que foi fundamental. Eles nos mostraram que estão no caminho certo, assim como estaremos daqui há alguns anos”.
De modo geral, além de participar das oficinas, tiveram a oportunidade de conhecer os projetos dos estudantes, cujo cerne é a pedagogia por projetos. Além de conhecerem os espaços de interatividade, inventividade e produção do conhecimento, puderam realizar a interlocução e a prática pedagógica, uma vez que estão no último ano do curso de pedagogia e alguns já atuam como docentes na educação infantil. Uma parte dos projetos em que atuaram faz parte do Projeto Esfinge, o que permite a indissociabilidade entre ensino,  pesquisa e extensão. Para Amir Limana,  “é uma grande oportunidade para todos, pois atuei na formação de professores por 23 anos como professor titular e sei que a formação é processo central se quisermos pensar em alguma transformação na educação,  pois cada vez mais precisamos de professores eruditos e conscientes de seu papel na transformação da sociedade e produção do conhecimento”. Já para Ricardo Töws, “parcerias e experiências como essas são sempre bem vindas, pois há mais conexão que imaginamos entre a formação de professores e os problemas educacionais conhecidos. A saída é mostrar que é possível fazer diferente no limite da radicalidade, pois só assim poderemos fazer educação de ponta”.
  • Brenda Salvador

    Foi muito bom participar disso e também contribuir com os estagiários, experiencias e discussões que gerou muita aprendizagem, essa forma de ensino proporciona muito conhecimento.

  • Ricardo Töws

    Muito Bom!

  • Thainan Martins

    Verdadeiramente este estágio nos proporcionou um grande conhecimento de como fazer escola e de como incentivar os nossos alunos a serem autônomos. Parabéns aos professores Amir e Ricardo pelo belo trabalho..